• DNIT dá início às escavações do Pedral de Nova Avanhandava do Rio Tietê




    Para aprimorar a navegabilidade do Rio Tietê, o Departamento Nacional de Infraestrutura dos Transportes (DNIT) iniciou, nesta quarta-feira (20/9), às escavações em Nova Avanhandava, no Rio Tietê. A intervenção faz parte do derrocamento do pedral localizado em Buritama, São Paulo, e complementa as ações de explosões que acontecem desde o mês passado. Serão retirados mais de 700 mil m³ de rocha, ao longo de um trecho de dez quilômetros de rio. O DNIT é o responsável pelo repasse dos recursos para a obra, avaliada em R$ 181,5 milhões, executada por meio de convênio com o Departamento Hidroviário de São Paulo.

    Atualmente, o canal que dá acesso à eclusa tem operado com restrições: o diretor de infraestrutura aquaviária do DNIT, Erick Moura, explica que isso tem acontecido porque o reservatório da Usina Hidrelétrica de Três Irmãos tem apresentado níveis abaixo da cota esperada: “A ampliação irá permitir o tráfego de embarcações com 2,5 metros de calado, a dimensão estabelecida no projeto original da hidrovia”. A previsão é concluir os serviços em agosto de 2019.

    A Hidrovia Paraná-Tietê integra um grande sistema multimodal e abrange os estados de São Paulo, Paraná, Mato Grosso do Sul, Goiás e Minas Gerais, uma região de 76 milhões de hectares. Além de conectar áreas de produção a portos marítimos, pode atender os principais centros do Mercosul. Por meio do DNIT, o Governo Federal investe em operação e manutenção de eclusas, sinalização e execução de melhoramentos do canal de navegação como esse derrocamento para garantir a navegação comercial em mais de 2.400 quilômetros de rios.

     

    Fonte: DNIT

    Assessoria de Comunicação
    Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil